O Rota do Blues Radio é a versão rádio web (podcast) do primeiro programa da TV brasileira a abordar a história do gênero.
A versão web tem a mesma proposta, contar a história do blues através de suas obras sonoras e seus inúmeros interpretes ao longo de sua história centenária.
Um dos destaques principais do programa é mostrar o blues feito no Brasil através de bate-papos com músicos e afins que vivem o cenário do blues nacional.
É só clikar e escolher a edição desejada.
Seja bem-vindo (a) na verdadeira Rota do Blues !!!
The Route of Blues Radio is the web podcast radio version from the first brazilian television program about the history of the gender .
The web version has the same purpose, tells the history of blues thru the sounds and stuffs of their several interprets along this centenary way.
One of the highlights is show the blues made in Brazil over the interviews of the brazillian blues musicians.
Its only to click to choose you desired edition!
You are welcome to the really mean Route of Blues.

quinta-feira, 29 de maio de 2008

Atração 3a edição Rota do Blues Radio

KOKO TAYLOR

Cora Walton nasceu no dia 28 de setembro de 1928 em Bartlett, Tennessee. Ela ganhou seu apelido de Koko por causa do amor por chocolate que ela tinha desde pequena (Koko = choco). Desde cedo já se interessou por música, tanto pela gospel, que ela ouvia nas igrejas que freqüentava, quanto pelo blues que ela ouvia nas rádios de Memphis. Mas, mesmo com o incentivo de seu pai para cantar somente músicas gospel, ela e seus irmãos gostavam mesmo de cantar e tocar blues com instrumentos caseiros.
Quando jovem ela ouvia o quanto podia de blues. Bessie Smith e Memphis Minnie foram influências particulares, assim como Muddy Waters, Howlin' Wolf e Sonny Boy Williamson. E embora amasse cantar, ela nunca sequer sonhou em subir num palco um dia.
Com 20 e poucos anos, ela se mudou para Chicago com seu futuro marido, o falecido Robert “Pops” Taylor, a procura de emprego. Com nada além de 35 centavos e um pacote de biscoitos Ritz, como conta a própria Koko, eles se instalaram no lado sul da cidade, uma das regiões que se tornou o berço do Chicago Blues.

Pouco tempo depois Koko arrumou um emprego como faxineira em casas no subúrbio ao norte. À noite e nos fins de semana, ela e Pops freqüentavam os bares de blues onde tocavam alguns nomes como Muddy Waters, Howlin' Wolf, Magic Sam, Little Walter e Junior Wells. E graças a Pops, logo eles se tornaram amigos de muitas das lendas do blues.
Com seu enorme talento, foi fácil começar a cantar nos palcos de Chicago. E sua maior oportunidade foi quando Willie Dixon a viu cantar pela primeira vez. Para o espanto de Taylor, ele disse:

-Meu Deus! Eu nunca vi uma mulher cantar blues como você canta. Existem muitos homens cantando blues, mas não há mulheres suficientes. É isso que o mundo precisa hoje em dia, uma mulher com a sua voz para cantar blues.

Dixon gravou conseguiu grava o primeiro disco dela para a USA Records e logo em seguida garantiu um contrato para a Chess Records, a maior gravadora de blues da época. Ele produziu diversas músicas e dois álbuns para ela, incluindo seu grande hit de 1966 Wang Dang Doodle. Essa música finalmente coloca Koko Taylor como a maior cantora de blues do mundo.

No ano de 1972 Koko tocou no Ann Arbor Blues and Jazz Festival. Esse festival foi gravado pela Atlantic Records, que lançou um disco ao vivo, que ajudou a divulgar ainda mais o seu trabalho.
Em 1975 ela conheceu Bruce Iglauer, da Alligator Records. No mesmo ano lançou o disco I Got What It Takes que recebeu uma indicação ao Grammy.
De lá pra cá foram mais dez álbuns, todos eles pela Alligator Records, incluindo o mais recente Old School, de abril de 2007. E ela passou a ser conhecida como a "Queen of the Blues".

Deep soul, raw vocal power, blustery swagger...the great
female blues singer of her generation
Revista Rolling Stone


Fonte: Site Oficial de Koko Taylor

Nenhum comentário: