O Rota do Blues Radio é a versão rádio web (podcast) do primeiro programa da TV brasileira a abordar a história do gênero.
A versão web tem a mesma proposta, contar a história do blues através de suas obras sonoras e seus inúmeros interpretes ao longo de sua história centenária.
Um dos destaques principais do programa é mostrar o blues feito no Brasil através de bate-papos com músicos e afins que vivem o cenário do blues nacional.
É só clikar e escolher a edição desejada.
Seja bem-vindo (a) na verdadeira Rota do Blues !!!
The Route of Blues Radio is the web podcast radio version from the first brazilian television program about the history of the gender .
The web version has the same purpose, tells the history of blues thru the sounds and stuffs of their several interprets along this centenary way.
One of the highlights is show the blues made in Brazil over the interviews of the brazillian blues musicians.
Its only to click to choose you desired edition!
You are welcome to the really mean Route of Blues.

segunda-feira, 16 de junho de 2008

Atração 4a edição Rota do Blues Radio


Jean Mitchell:
o bluesman francês que morreu como sem-teto na Bahia.

Dono de uma voz só comparada à de Rod Stewart no timbre e a de Ray Charles no poderio, o extraordinário bluesman francês Jean Mitchell - à frente de sua banda composta pelo guitarrista italiano Gini Zambelli e o baixista venezuelano Keko Villarroel - era considerado nos anos 90 como a maior atração do gênero em Salvador (BA). Fazia shows no Pelourinho (reduto blueseiro da terra do axé na época), cantando com as vísceras, delirando nos palcos e arrancando aplausos fervorosos de um público invariavelmente extasiado. Com a decadência comercial do Centro Histórico, que começou a dar seus primeiros sinais no final da década, os bares foram fechando um a um, restando a Jean apresentar-se apenas no único que restou, o Friday in Pelô, nas noites de sexta-feira.
Sem dinheiro, ele passou a morar no porão deste bar, alternava duas únicas mudas de roupa e sobrevivia com os trocados que recebia de couvert. Pra controlar a ansiedade e fazer o tempo passar mais rápido, pintava quadros abstratos com material doado por alguns artistas plásticos do Pelourinho, praticava meditação e fazia anotações para o seu próximo livro, “Luz nas Trevas (poucos meses antes, o governo do estado, através do programa Faz Cultura, lançou a primeira obra literária de Jean, “Anjos Negros” – um romance sobre as experiências vividas por ele nos anos em que permaneceu preso no Rio de Janeiro por falsificar cheques de viagem). Com o Friday cada vez mais às moscas, a dona decidiu fechar o estabelecimento, não restando outra opção a Jean se não ir morar na rua.
Pra piorar a situação, ele engravidou uma mulher viciada em crack, que sumia durante dias e deixava o bebê aos seus cuidados. Foi nesse contexto que Jean acabou preso novamente, desta vez, por furto. Assim que deixou a penitenciária, tentou retomar o trabalho com a banda, mas as portas dos espaços alternativos de Salvador estavam ainda mais inacessíveis. Incapaz de lidar com esta situação e, principalmente, de domar seus demônios pessoais, Jean entregou-se ao alcoolismo. Não se alimentava mais. Apenas vagava pelas ruas, anestesiado por doses de cachaça de procedência, no mínimo, duvidosa. Até que numa madrugada foi achado caído na calçada, desacordado, sob um temporal imenso, por uma ambulância do SAMU 192.
Chegou a ficar internado por cerca de um mês na enfermaria do hospital das Obras Sociais Irmã Dulce, mas não sobreviveu ao quadro grave de hepatite alcoólica e desidratação que logo evoluiu para uma infecção generalizada, resultando na múltipla falência dos órgãos. Só três amigos mais chegados compareceram ao enterro, realizado no cemitério “Quinta dos Lázaros”, onde são enterrados os mais miseráveis de Salvador. O talento fora do comum de Jean Mitchell, no entanto, sobreviveu à sua morte e pode ser conferido no endereço www.lastfm.com.br/music/Jean+Mitchell+Blues+Band, onde estão disponibilizadas as faixas integrais do CD que ele chegou a gravar em estúdio - evocando James Brown, Robert Johnson, Little Richard, Chuck Berry, Stevie Wonder, Otis Redding, Jerry Lee Lewis, George Gershwin, Wilson Pickett, entre outros mestres do blues - além de fotos, vídeos e mais informações sobre sua incrível trajetória.

By
Silvana Malta

http://silvanamalta.blogspot.com

Nenhum comentário: